African Journal of
Plant Science

  • Abbreviation: Afr. J. Plant Sci.
  • Language: English
  • ISSN: 1996-0824
  • DOI: 10.5897/AJPS
  • Start Year: 2007
  • Published Articles: 761

Full Length Research Paper

Litterfall production, nutrient input and soil fertility in yerba-mate agroforestry systems

Neuri Carneiro Machado
  • Neuri Carneiro Machado
  • Secretariat of Agriculture and Supply (SEAB), Paraná Forest Institute, Brazil.
  • Google Scholar
Adriel Ferreira da Fonseca
  • Adriel Ferreira da Fonseca
  • Department of Soil Science and Agricultural Engineering, Ponta Grossa State University, Brazil.
  • Google Scholar
Francisco Paulo Chaimsohn
  • Francisco Paulo Chaimsohn
  • Paraná Rural Development Institute, Experimental Station of Morretes, Brazil.
  • Google Scholar
Flavia Biassio Riferte
  • Flavia Biassio Riferte
  • Department of Agronomy, Ponta Grossa State University, Brazil.
  • Google Scholar


  •  Received: 09 September 2020
  •  Accepted: 31 March 2021
  •  Published: 30 April 2021

References

Alleoni LRF, Iglesias CSM, Mello SC, Camargo OA, Casagrande JC, Lavorenti NA (2005). Atributos do solo relacionados à adsorção de cádmio e cobre em solos tropicais. Acta Scientiarum Agronomy 27(4):729-737.
Crossref

 

Antoneli V, Thomaz EL (2012). Production of litter in a fragment of the florets ombrofila mista with faxinal system. Sociedade and Natureza 24(3):489-504.
Crossref

 
 

Arias M, Pérez-Novo C, Soto ELB (2006). Competitive adsorption and desorption of copper and zinc in acid soils. Geoderma 133(3-4):151-159.
Crossref

 
 

Barbosa JZ, Motta AC, Consalter R, Poggere GC, Santin D, Wendling I (2018). Plant growth, nutrients and potentially toxic elements in leaves of yerba mate clones in response to phosphorus in acid soils. Anais da Academia Brasileira de Ciências 90(1):557-571.
Crossref

 
 

Baretta D, Maluche-Baretta CRD, Cardoso EJN (2008). Análise multivariada de atributos microbiológicos e químicos do solo em florestas com Araucária angustifólia. Revista Brasileira de Ciência do Solo 32(spe):2683-2691.
Crossref

 
 

Boeger MRT, Wisniewski C, Reissmann CB (2005). Nutrientes foliares de espécies atbóreas de três estádios sucessionais de floresta ombrófila densa no sul do Brasil. Acta Botanica Brasilica 19(1):167-181.
Crossref

 
 

Bonfatti Júnior EA, Lengowski EC, Ludka Júnior A (2018). Mapeamento do processo produtivo de erva-mate. Revista Internacional de Ciências 8(1):82-98.
Crossref

 
 

Borille AMW, Reissmann CB, Freitas RJS (2005). Relação entre compostos fitoquímicos e o nitrogênio em morfotipos de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.). Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos 23(1):183-196.
Crossref

 
 

Britez RM, Reissman CB, Silva SM, Santos Filho A (1992). Deposição estacional de serapilheira e macronutrientes em uma floresta de araucária, São Mateus do Sul, Paraná. In: 2º Congresso Nacional sobre Essências Nativas, São Paulo, Anais 4(3):766-772.

 
 

Caldeira MVW, Marques R, Soares RV, Balbinot R (2007). Quantificação de serapilheira e de nutrientes - Floresta Ombrófila Mista Montana - Paraná. Revista Acadêmica 5(2):101-116.
Crossref

 
 

Carmo DL, Nannetti DC, Lacerda TM, Nannetti NA, Espírito Santo DJ (2012). Micronutrientes em solo e folha de cafeeiro sob sistema agroflorestal no Sul Minas Gerais. Coffee Science 7(1):76-83.

 
 

Carmo FCA, Fiedler NC, Silva ML, Gonçalves SB, Guimarães PP, Lira DFS (2018). Efeito da área e produtividade na produção de erva-mate no Brasil. Nativa 6(1):85-90.
Crossref

 
 

Caron BO, Rheinheimer dos Santos D, Schmidt D, Basso CJ, Behling A, Eloy E, Bamberg R (2014). Biomassa e acúmulo de nutrientes em Ilex paraguariensis A. St. Hil. Ciência Florestal 24(2):267-276.
Crossref

 
 

Chaimsohn FP, DE Souza AM (2013). Sistemas de produção tradicionais e agroflorestais de erva-mate no centro-sul do Paraná e norte Catarinense. IAPAR, Ponta Grossa, Brasil.

 
 

Costa G, Gama-Rodrigues AC, Cunha GM (2005). Decomposição e liberação de nutrientes da serapilheira foliar em povoamentos de Eucalyptus grandis no Norte Fluminense. Revista Árvore 29(4):563-570.
Crossref

 
 

De Souza AM, Chaimsonh FP (2013). Dos ervais ao mate: possibilidade de revalorização dos tradicionais processos de produção e de transformação de erva-mate no Planalto Norte Catarinense. In: Chaimsohn FP, De Souza AM. (eds), Sistemas de produção tradicionais e agroflorestais no Centro-sul do Paraná e Norte Catarinense, Ponta Grossa, PR; Iapar/Epagri pp.32-105.

 
 

Faria ABC, Monteiro PHR, Auer CG, Ângelo AC (2017). Uso de ectomicorrizas na biorremediação florestal. Ciência Florestal 27(1):21-29.
Crossref

 
 

Flor IC, Santos R, Harter-Marques B (2017). Litterfall at different successional stages in a tropical rain forest in southern Brazil. Ciência e Natura 39(3):494-502.
Crossref

 
 

Food and Agriculture Organization Corporate Statistical Database (FAOSTAT) (2019). Maté: World lista, area harvest, yield, production. [cited 2020 march 30]. Available from:

View

 
 

Fossati LC (1997). Avaliação do estado nutricional e da produtividade de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.), em função do sítio e da dioicia. Dissertation, Federal University of Paraná.

 
 

Furtini Neto AE, Vale FR, Resende AV, Guilherme LRG, Guedes GAA (2001). Fertilidade do solo. Ufla, Lavras 261 p.

 
 

Gaiad S, Lopes ES (1986). Ocorrência de micorriza vesicular-arbuscular em erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.). Boletim de Pesquisa Florestal 12(1):21-29.

 
 

Heinrichs R, Malavolta E (2001). Composição mineral do produto comercial da erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.). Ciência Rural 31(5):781-785.
Crossref

 
 

Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) (1994). Cartas climáticas do Estado do Paraná. Instituto Agronômico do Paraná, Londrina.

 
 

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2018). Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura. [cited 2020 march 30]. Available from:

View

 
 

Jacques RA, Arruda EJ, Oliveira LCD, Oliveira AP, Dariva C, Oliveira JV, Camarão EB (2007). Influence of agronomic variables on the macronutrient and micronutrient contents and thermal behavior of mate tea leaves (Ilex paraguariensis). Journal of Agricultural and Food Chemistry 55(18):7510-7516.
Crossref

 
 

Kämpf N, Curi N, Marques JJ (2009). Intemperismo e ocorrência de minerais no ambiente do solo. In: Melo VF, Alleoni LRF (eds.), Química e mineralogia do solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciências dos Solos pp. 333-371.

 
 

Lindsay WL (1979). Chemical equilibria in soils. New York: John Wiley & Sons.

 
 

Longhi RV, Longhi SJ, Chami LB, Watzlawick LF, Ebling AA (2011). Produção de serapilheira e retorno de macronutrientes em três grupos florísticos de uma Floresta Ombrófila Mista, RS. Ciência Florestal 21(4):699-710.
Crossref

 
 

Malavolta E, Vitti GC, Oliveira AS (1997). Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. Piracicaba: Potafos.

 
 

Manly BJF (2008). Métodos estatísticos multivariados: uma introdução. 3th ed., Porto Alegre: Bookman.

 
 

Marcelo MCA, Pozebon D, Ferrão MF (2015). Análise multivariada do perfil das concentrações de elementos presentes na erva-mate (Ilex paraguariensis) comercializada no MERCOSUL. Revista Virtual de Química 7(6):2400-2421.
Crossref

 
 

Mattias JL, Ceretta CA, Nesi CN, Girotto E, Trentin EE, Lourenzi CR, Vieira RCB (2010). Copper, zinc and manganese in soils of two watersheds in Santa Catarina with intensive use of pig slurry. Revista Brasileira de Ciência do Solo 34(4):1445-14544.
Crossref

 
 

Montagnini F, Eibl BI, Barth SR (2011). Organic yerba mate: an environmentally, socially and financially suitable agroforestry system. Bois et forêts des tropiques 308(2):59-74.
Crossref

 
 

Mouta ER, Soares MR, Casagrande JC (2008). Copper adsorption as a function of solution parameters of variable charge soils. Journal of the Brazilian Chemical Society 19(5):996-1009.
Crossref

 
 

Nimmo ER, Carvalho AI, Laverdi R, Lacerda AEB (2020). Oral history and traditional ecological knowledge in social innovation and smallholder sovereignty: a case study of erva-mate in Southern Brazil. Ecology and Society 25(4):17.
Crossref

 
 

Oliva EV, Reissmann CB, Gaiad S, De Oliveira EB, Sturion JA (2014). Composição nutricional de procedências e progênies de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) cultivadas em Latossolo vermelho distrófico. Ciência Florestal 24(4):793-805.
Crossref

 
 

Oliveira TS, Costa LM (2004). Metais pesados em solos de uma topolitosseqüência do Triângulo Mineiro. Revista Brasileira de Ciência do Solo 28(4):785-796.
Crossref

 
 

Pavan MA, Bloch MF, Zempulski HC, Miyazawa M, Zocoler DC (1992). Manual de análise química de solo e controle de qualidade. Londrina: Iapar.

 
 

Pezzatto AW, Wisniewski C (2006). Produção de serapilheira em diferentes seres sucessionais da Floresta Estacional Semidecidual no Oeste do Paraná. Floresta 36(1):111-120.
Crossref

 
 

Radomski MI, Sugamosto ML, Giarola NFB, Campiolo S (1992). Avaliação dos teores de macro e micronutrientes em folhas jovens e velhas de erva-mate nativa. Revista do Instituto Florestal 4(2):453-456.

 
 

Reissmann CB, Carneiro C (2004). Crescimento e composição química de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hill.), transcorrido oito anos de calagem. Revista Floresta 34(3):381-286.
Crossref

 
 

Ribeiro MM, Reissmann CB, Corrêa DR (2008). Nutrição da erva-mate com sulfato de amônio. Cerne 14(3):204-211.

 
 

Ricardi AC, Koszalka V, Lopes C, Watzlawick LF, Ben TJ, Umburanas RC, Muller MML (2020). O alumínio melhora o crescimento e a qualidade de mudas clonais de erva-mate (Ilex paraguariensis, Aquifoliaceae). Research, Society and Development 9:e419108064.
Crossref

 
 

Rodrigues FAV, Barros NF, Neves JCL, Alvarez VH, Novais RF (2010). Disponibilidade de cobre para mudas de eucalipto em solos de cerrado. Revista Brasileira de Ciência do Solo 34(6):1923-1932.
Crossref

 
 

Rossa UB, Angelo AC, Mazuchowski JZ, Westphalen DJ, Frizon ANT, Martins CEN (2017). Influência da luminosidade e fertilizantes nos teores de metilxantinas e compostos fenólicos em folhas de erva-mate. Ciência Florestal 27(4):1365-1374.
Crossref

 
 

Sanquetta CR, Maas GCB, Oliveira IM, Sanquetta MNI, Dalla Corte AP (2016). Dinâmica sazonal da produção de serapilheira em fragmento de Floresta Ombrófila Mista Montana no Estado do Paraná. Enciclopédia biosfera 13(24):414-422.
Crossref

 
 

Santin D, Benedetti EL, Barros NF, Almeida IC, Wendling I (2016). Intervalos de colheita e adubação potássica influenciam a produtividade da erva-mate. Floresta 46:509-518.
Crossref

 
 

Santin D, Benedetti EL, Barros NF, Fontes LL, Almeida IC, Neves JCL, Wendling I (2017). Manejo de colheita e adubação fosfatada na cultura da erva-mate (Ilex paraguariensis) em fase de produção. Ciência Florestal 27(4):783-797.
Crossref

 
 

Santin D, Benedetti EL, Kaseker JF, Bastos MC, Reissmann CB, Wendling I, Barros NF (2013). Nutrição e crescimento da erva-mate submetida à calagem. Ciência Florestal 23(4):55-66.
Crossref

 
 

SAS System (2004). SAS Institute Inc. SAS OnlineDoc® 9.1.2. Cary, NC: SAS Institute.

 
 

Schumacher MV, Trüy P, Marafiga JM, Viera M, Szymczak DA (2011). Espécies predominantes na deposição de serapilheira em fragmentos de Floresta Estacional Decidual no Rio Grande do Sul. Ciência Florestal 21(3):479-486.
Crossref

 
 

Signor P, Gomes GS, Watzlawick LF (2015). Produção de erva mate e conservação de Floresta com Araucária. Pesquisa Florestal Brasileira 35(83):199-208.
Crossref

 
 

Silva FC (2009). Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes, 2nd ed. Brasília: Embrapa.

 
 

Silva IR, Mendonça ES (2007). Matéria orgânica do solo. In: Novais RF et al. (ed). Fertilidade do solo, 1st ed. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa.

 
 

Sociedade Brasileira de Ciência do Solo - SBCS/Núcleo Estadual Paraná - NEPAR (2017). Manual de adubação e calagem para o estado do Paraná. Curitiba: SBCS/NEPAR.

 
 

Souza JLM, Araujo MA, Brondani GE, Reissmann CB, Maccari Júnior A, Wolf CS (2008). Exportação de nutrientes foliares em diferentes tipos de poda na cultura da erva-mate. Scientia Agraria 9:177-185.
Crossref

 
 

Taiz L, Zeiger E (2004). Fisiologia vegetal. Porto Alegre: Artmed. 719 p.

 
 

Torres CMME, Jacovine LAG, Oliveira Neto SN, Brianezi D, Alves EBBM (2014). Sistemas agroflorestais no Brasil: uma abordagem sobre a estocagem de carbono. Pesquisa florestal brasileira 34(79):235-244.
Crossref

 
 

Vendrame PRS, Brito OR, Quantin C, Becquer T (2007). Disponibilidade de cobre, ferro, manganês e zinco em solos sob pastagens na Região do Cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira 42(6):859-864.
Crossref

 
 

Vitti GC, Suzuki JA (1978). A determinação do enxofre - sulfato pelo método turbidimétrico. Universidade Estadual de São Paulo, Jaboticabal.